Acesso dos brasileiros à internet é maior por celular e via conexões WiFi

A proporção de domicílios com acesso ao computador e a de domicílios com acesso à Internet permaneceram estáveis no Brasil em 2015 em relação a 2014, embora em números absolutos tenha crescido. Em 2015 o país passou a ter 33,2 milhões de residências com computadores e 34,1 milhões com acesso a Internet. A quantidade de brasileiros com acesso à internet, no entanto, cresceu proporcionalmente no ano passado, para 58% da população, totalizando 102 milhões de pessoas usando a rede de alguma forma, seja no trabalho, na escola, na casa de amigos (onde foi registrado o maior crescimento) ou em locais públicos, especialmente através do celular.

Pela primeira vez, o uso da internet por celular superou o acesso através do computador. Dos brasileiros com mais de 10 anos que acessam regularmente a internet, 89% o fazem pelo telefone celular, enquanto 65% o fazem por meio de um computador de mesa, portátil ou tablet. Em 2014, 80% acessavam pelo computador e 76% pelo telefone celular. Os dados são da pesquisa TIC Domicílios 2015, do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), realizada anualmente pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br) do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br). Cresceu também a quantidade de brasileiros que acessam a rede exclusivamente por dispositivos móveis. Em 2015 foram 35% contra 19% em 2014.

Ticdomicilios2015a

ticdomicilios2015b

O uso exclusivo pelo telefone celular ocorre especialmente entre os usuários de classes sociais menos favorecidas e aqueles da área rural. Um exemplo disso é que, entre os indivíduos de classes D e E, 28% utilizam Internet, e a maioria deles (65%) usa a rede apenas pelo telefone celular. O mesmo acontece com as áreas rurais: 34% da população dessas áreas é usuária de Internet, e a maioria dessas pessoas (56%) utiliza apenas pelo celular.

Esta realidade coloca desafios importantes para o desenvolvimento de habilidades digitais requeridas para a nova economia digital. Entre os usuários de Internet que acessam apenas por telefone celular, a proporção dos que realizam atividades online, relativas ao trabalho ou a governo eletrônico, por exemplo, é menor do que aqueles usuários que acessam a rede também por computadores. Aumentando a importância de políticas públicas de inclusão digital que possibilitem o uso conjunto do celular com dispositivos com telas maiores (TVs ou monitores) e teclados e que capacitem a população para que ela possa se apropriar da tecnologia, até mesmo para fazer maior uso dos serviços de governo eletrônico e educação à distância.

“É a partir da combinação do uso de diversos dispositivos, cada um com suas peculiaridades, e de aplicativos de maior complexidade que se possibilita o desenvolvimento de habilidades digitais mais sofisticadas”, reforça Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

A falta de habilidade para o uso impacta diretamente no uso de serviços de governo eletrônico. Segundo o estudo, os usuários que mais buscaram informações ou utilizaram serviços de governo pela Internet são aqueles com alta escolaridade (81% dos que tem Ensino Superior e 61% dos com Ensino Médio) e renda (86% dos usuários com renda maior que 10 salários mínimos e 77% dos usuários com salário entre 5 e 10 salários mínimos).

ticdomicilios2015c

WiFi em alta
Outro dado importante da pesquisa é o crescimento das conexões WiFi. No que diz respeito ao tipo de conexão utilizada pelos usuários de Internet no celular, o acesso via Wi-Fi (87%) ultrapassou o acesso via redes 3G e 4G (72%). Além disso, dos domicílios com acesso à Internet, 79% tinham WiFi em 2015, um crescimento de 13 pontos percentuais na variação anual.

“De um modo geral, a população está procurando formas de reduzir o custo da conexão, procurando usar mais conexões sem fio gratuitas”, comenta Winston Oyadomari, coordenador do estudo.

ticdomicilios2015d

A pesquisa TIC Domicílios 2015 realizou entrevistas em mais de 23 mil domicílios em todo o território nacional, entre novembro de 2015 e junho de 2016. A amostra é maior do que a da pesquisa realizada em 2014.

Outros destaques

– Aproximadamente 30 milhões de domicílios das classes C e DE estão desconectados, o que representa quase a metade do total de domicílios brasileiros. Nas classes D e E apenas 16% dos domicílios estão conectados à Internet, e na área rural esta proporção é de 22%.

– Em números absolutos, a A maior quantidade de domicílios desconectados (11,7 milhões) está na região Sudeste.

– Nos domicílios da classe A, o acesso à Internet encontra-se praticamente universalizado. O crescimento hoje se dá nas classes C, D e E (gráficos abaixo)

ticdomicilios2015e

– A quantidade de brasileiros que tem vendido coisas pela internet aumentou. Era de 6%, em 46% de brasileiros conectados. Hoje passou a ser de 14%, em 58% de brasileiros com acesso à internet.

– Apenas 39% dos 48% de brasileiros conectados compra alguma coisa pela Internet, embora 71% pesquisem preços.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *